A Argentina, campeã da Copa do Mundo, é forçada a evacuar o desfile da vitória de helicóptero depois de ser cercada com a ajuda de entusiastas jubilosos

Anúncios

Um desfile para divertir os campeões argentinos da Copa do Mundo foi inesperadamente interrompido na terça-feira, quando centenas de milhares de pessoas lotaram as vias, rodovias e viadutos em uma tentativa caótica de dar uma olhada na seleção nacional que provavelmente venceu a maior final da Copa do Mundo de tempo todo.

Tantos fanáticos com bandeiras eufóricas invadiram a capital que os jogadores precisaram abandonar o ônibus aberto que os transportava para Buenos Aires e embarcar em helicópteros para um sobrevoo da capital que o executivo chamou de desfile aéreo.

“Os campeões mundiais estão sobrevoando todo o percurso em helicópteros, já que não foi possível seguir por terra por causa da explosão de alegria dos americanos”, escreveu Gabriela Cerruti, porta-voz do presidente Alberto Fernández, nas redes sociais.

A seleção argentina que conquistou o título da Copa do Reino viajou de ônibus aberto por todo o desfile de boas-vindas em Buenos Aires, Argentina, terça-feira, 20 de dezembro de 2022. Rodrigo Abd / AP

Depois de sobrevoar os principais pontos de Buenos Aires, onde os torcedores se reuniram, os helicópteros voltaram para a sede da federação argentina de futebol no quintal da capital.

Alguns amantes suportaram comemorar nas ruas, enquanto outros saíram de Buenos Aires com rostos tristes, reclamando que não podiam mais prestar homenagem à equipe que trouxe para casa o primeiro troféu da Copa do Mundo do país quando você considera que 1986.

“Estamos zangados porque o governo não organizou isso com precisão para que todos pudéssemos nos alegrar”, observou Diego Benavídez, 25, que estava esperando no local naquela manhã para ver o grupo. “Eles roubaram a Copa da área de nós.”

Outros, além do fato de serem crianças, levaram na esportiva.

“Não estou desapontado, vivemos a festa de aniversário”, disse Nicolás López, 33, que se mudou para o centro de Buenos Aires com sua filha de 7 anos.

Fãs da Argentina torcem porque o maior número de participantes do grupo parte em um helicóptero, depois de desfilar em um busto para comemorar a vitória na partida da Copa do Mundo Qatar 2022, na província de Buenos Aires, em 20 de dezembro de 2022. TOMAS CUESTA/AFP por meio de fotografias Getty

O chefe da associação de futebol, Claudio Tapia, culpou a aplicação da lei pelos planos alternativos. “Os organismos de segurança igualitários que nos escoltavam não parecem nos permitir seguir em frente”, escreveu Tapia nas redes sociais. “Peço desculpas em nome de todos os jogadores campeões.”

O ônibus estava se movendo a passo de caracol por mais de quatro horas no meio da multidão de pessoas antes que o desfile terrestre fosse interrompido. O capitão da equipe, Lionel Messi, e o relaxamento dos jogadores acenaram para a grande multidão enquanto eles carregavam o troféu da Copa da região depois de garantir o terceiro título do país.

“isso é uma loucura, é indescritível”, falou sobre Brian Andreassi, 23, enquanto caminhava pelo centro da cidade vestindo a camisa da equipe. “Não há frases.”

a Copa do Mundo e o sucesso da equipe liderada por Messi trouxeram notícias decentes e necessárias para um país que está preso em uma crise econômica há anos, sofre uma das taxas de inflação mais altas do mundo e onde quase 4 em cada 10 americanos vivem na pobreza.

“Existe uma grande união entre todos os argentinos – espírito de equipe, alegria. É como se você pudesse respirar um outro ar, há mais uma energia no ar”, disse Victoria Roldán. “Meu físico e meu coração estão prestes a explodir.”

Carregando uma duplicata da Copa do Mundo, a jogadora de 32 anos e sua irmã de 36 a 12 meses, Mariana, estão ansiosas para capturar um vislumbre do time e, em particular, de seu capitão, Messi.

“Estamos morrendo de vontade de vê-lo”, disse Roldán. “Vê-lo com aquele sorriso enorme, com aqueles olhos vibrantes e cheios de esperança, realmente enche nosso coração de alegria e felicidade. … Sinto que Leo merece isso há anos, e isso se transformou em seu segundo.”

Argentinos celebrando a terceira vitória de seu país na Copa do Mundo, na capital Buenos Aires, Argentina, em 20 de dezembro de 2022. Diego Radames/Anadolu company por meio de imagens Getty

Os jogadores foram todos sorrisos enquanto observavam as multidões reunidas para observá-los, muitos tentando chegar o mais perto possível do ônibus. Estima-se que 4 milhões de pessoas estiveram nas ruas até a tarde de terça-feira, segundo a mídia local citando fontes policiais.

A festa dos namorados tomou conta de rodovias, avenidas e vias de entrada na capital, com a temperatura subindo para 30 graus Celsius (86 graus Fahrenheit).

montes haviam montado acampamento desde aquela manhã de terça-feira no Obelisco, o marco histórico de Buenos Aires que é o local normal das comemorações.

“Estamos um pouco desorientados porque não sabemos a rota do ônibus e um pouco aborrecidos porque percorremos tantos quilômetros e não conseguimos vê-los”, contou Giselle Pisani, 34, que percorreu 350 quilômetros ( 220 milhas) com sua família da cidade de Olavarria.

O presidente argentino declarou uma pausa nacional na terça-feira para que a nação possa se alegrar com a vitória na Copa do Mundo.

A música “Muchachos”, que foi escrita por um fã e se tornou o hino não oficial preferido do grupo argentino na Copa do Mundo, encheu as ruas enquanto os entusiastas se juntavam para cantá-la continuamente.

Alguns fanáticos também homenagearam a lenda do futebol argentino Diego Maradona, capitão da seleção de 1986 que conquistou a Copa do Mundo e que morreu há dois anos, com bandeiras com seu nome e rosto. “isto é para Diego, que está vendo isso do céu”, cantavam os fanáticos.

“isso é uma festa. O restante da Argentina foi campeã eu tinha 3 anos, não me lembro de mais nada”, destacou Yael Torchinsky, 39. “Quero viver isso intensamente porque os argentinos querem essa felicidade.”

Argentinos comemorando a terceira vitória de seu país na Copa do Mundo, na capital Buenos Aires, Argentina, em 20 de dezembro de 2022. No domingo, a Argentina comandada por Lionel Messi venceu a França por 4 a 2 nos pênaltis no Catar e conquistou o terceiro título nacional da Copa do Mundo da FIFA. Mariano Gabriel Sanchez/Empresa Anadolu pelo uso de imagens Getty

No meio da tarde, torcedores começaram a lotar a Plaza de Mayo em frente ao condomínio do governo, em meio a rumores de que os jogadores poderiam ir para lá para uma reprise das festividades pela vitória da Argentina na Copa do Mundo de 1986 que aconteceram lá. A administração de Fernández ofereceu a mansão palaciana, popularmente conhecida como Casa Rosada, ou residência vermelha, segundo o ministro da Defesa, Aníbal Fernández.

As boas-vindas estridentes para o grupo começaram antes do raiar do dia, com muitos fãs alinhados para cumprimentá-los em seu retorno do Catar.

Os jogadores desciam radiantes de seus aviões em Ezeiza, quintal da capital argentina, quase imediatamente antes das três da manhã. Sobre um tapete rosa. Messi foi o primeiro a sair, levando o troféu da Copa do Mundo, ladeado por Educar Lionel Scaloni, que colocou o braço em volta do capitão enquanto passavam por uma placa que dizia “obrigado, campeões”.

O grupo foi recebido pela banda de rock La Mosca cantando “Muchachos”, e alguns jogadores, incluindo Messi, podiam ser vistos cantando as frases enquanto embarcavam no ônibus que os levava à sede da federação argentina de futebol.

O ônibus levou uma hora para percorrer os 11 quilômetros (6,8 milhas) do aeroporto até a sede da AFA, onde os jogadores foram recebidos com fogos de artifício, e depois passaram a noite. Pela manhã, Messi postou uma foto nas redes sociais exibindo-o abraçando o troféu da Copa do Mundo ao seu lado enquanto dormia.

alguns jogadores também postaram fotos da viagem de avião nas redes sociais. Em um single, Nicolás Tagliafico postou uma foto do troféu da Copa do Mundo preso a um assento de avião como se fosse simplesmente mais um passageiro.

Jéssica
Jéssica
Olá, sou escritora com uma vasta experiência em redes de sites, onde meu foco é criar conteúdos que não apenas informam, mas também facilitam a vida dos leitores. Minha motivação para escrever vem do desejo de ajudar os usuários a encontrar respostas e soluções práticas. Acredito que a escrita é uma poderosa ferramenta de conexão e espero que você encontre nos meus artigos um recurso valioso para suas pesquisas e leituras diárias.