A Recessão Subseqüente Raramente Está Aqui Ainda. Aqui é quando você deve, de fato, começar a se preocupar com o clima econômico.

Anúncios

  • Os temores de recessão cresceram ao longo de 2022, no entanto, registra indicadores de que uma desaceleração raramente ocorre rapidamente.
  • As demissões estão de volta aos níveis anteriores ao desastre, e os gastos dos americanos estão em alta, apesar da alta inflação.
  • os Estados Unidos podem muito bem estar caminhando para uma recessão, mas é, sem dúvida, pelo menos um par de meses de distância.

Os avisos de recessão são os mais altos que eles consideram no início de 2020. As informações mais recentes, jovens, sugerem que é cedo para se preocupar tanto.

As perspectivas para a restauração financeira foram divididas em dois campos. Em um único canto, economistas hawkish temem que a luta do Federal Reserve com a inflação retarde a recuperação. O aumento dos custos do hobby, alinhado com a comunidade, esmagará os gastos e levará o país a uma nova, embora leve, recessão.

no outro, os maiores especialistas positivos veem pouca causa para tal problema. Eles admitem que a inflação é um problema e que o crescimento está desacelerando. No entanto, eles podem estar igualmente concentrados no lazer do sistema financeiro e, por mais que os fatos da inflação soem alarmes, diferentes sinais mostram que os EUA estão se saindo extraordinariamente bem para um país que acabou de sair de uma antiga recessão.

Os principais sinais de alerta oferecem aos economistas o elemento mais próximo de uma previsão do boom financeiro, pois tendem a exibir os desenvolvimentos mais cedo. Experiências que incluem pedidos de auxílio-desemprego semanais e pedidos de unidades fabris podem apresentar os principais indícios de uma desaceleração que se aproxima, mas, até agora, podem apresentar poucos motivos para desafios.

“Acho que a economia está boa”, Neil Dutta, chefe de economia da Renaissance Macro Research, falou no podcast de “abundância incomum” da Bloomberg antes também. Ele disse que se tivesse sido pressionado a responder, “‘você acha que o aumento vai para estão disponíveis superiores ao que o consenso é para o quarto trimestre de 2022?’ Meu palpite pode ser ‘provavelmente certo’.”

Espera-se que os aumentos de juros do Fed esfriem o boom, mas os efeitos podem não ser sentidos por completo por, no mínimo, alguns meses. Até então, provavelmente os alarmes de recessão mais observados são encorajadores.

Demissões em massa ainda não estão acontecendo

A perda de empregos é uma marca registrada das crises econômicas. As considerações sobre o aumento do desemprego cresceram até 2022, à medida que os economistas veem melhores taxas freando os esforços de contratação.

até agora, não há sinais de que o advento do emprego esteja diminuindo. Os EUA introduziram 428.000 folhas de pagamento não agrícolas em abril, superando as previsões dos economistas e repetindo o aumento igual considerado no mês anterior. Independentemente de ter recuperado cerca de noventa e cinco por cento dos empregos perdidos anteriormente na pandemia, os fatores positivos da folha de pagamento mês a mês ainda são o dobro do estilo pré-crise. Se o ritmo se mantiver, o país ampliará a recuperação do mercado de trabalho com a conclusão de julho.

A demanda por funcionários, então, continua forte, e as empresas estão preservando uma aproximação decente dos funcionários que já possuem. Os pedidos semanais de cobertura de desemprego ficam próximos dos estágios idênticos vistos antes do acidente do coronavírus. As reivindicações contínuas, que cantam a quantidade de americanos recebendo ativamente benefícios de desemprego, totalizaram 1,32 milhão na semana que terminou também em 7 de maio, marcando o nível mais baixo desde dezembro de 1969. Se as agências estão se preparando para uma desaceleração, não está mais mostrando em suas folhas de pagamento.

Se alguma coisa, são as pessoas que estão abandonando seus empregadores, e nunca a direção oposta. As demissões mensais atingiram um recorde de quatro,5 milhões em março, refletindo o décimo mês consecutivo em que mais de quatro milhões de americanos deixaram seus empregos. A demissão tende a aumentar quando os funcionários estão confiantes de que podem descobrir salários maiores ou circunstâncias de trabalho mais fortes em outro lugar.

Com as vagas de emprego atingindo uma lista brilhante em março e pagando o alpinismo em um ritmo antigo, fica claro que as empresas ainda estão desesperadas para nomear e reter funcionários, agora não para dispensar as folhas de pagamento. Até que os pedidos de seguro-desemprego fiquem mais altos ou o aumento da folha de pagamento fique ruim, uma recessão provavelmente está a meses longe de se materializar.

os americanos estão comprando através da inflação

Os clientes também estão trabalhando como uma recessão é uma saída prolongada. Apesar do sentimento do comprador estar no nível mais pessimista em uma década, os gastos ainda estão subindo. As vendas no varejo receberam 0,9% em abril, atingindo um recorde de US$ 677,7 bilhões, de acordo com registros do governo divulgados na terça-feira. A inflação pode estar atrapalhando o humor dos americanos, mas eles ainda estão gastando de forma inteligente acima da moda pré-pandemia.

as estatísticas de ganhos estão entre as muitas mais prescientes para julgar a adequação do sistema econômico. Os gastos dos clientes representam cerca de 70% da recreação econômica, o que significa que uma desaceleração surpreendente teria um grande impacto negativo na nação. As receitas das empresas despencariam e os empregadores demitiriam trabalhadores para dar proteção às suas linhas de retaguarda. Embora o aumento dos lucros tenha desacelerado com frequência até 2022, está longe de cair diretamente em uma contração.

“O que estamos vendo atualmente no sistema financeiro dos EUA é um cenário econômico bastante poderoso. Ainda temos compradores gastando em um ritmo decente”, disse Greg Daco, economista-chefe da EY-Parthenon, ao Insider.

enquanto isso, os grupos estão apostando que a farra de navegação residirá. Os novos pedidos de manufaturados subiram 2,2% em março, dobrando a previsão usual e acelerando fortemente em relação ao aumento de 0,1% em fevereiro. A medida é um indicador de empreendimento econômico cuidadosamente observado à frente, já que um aumento nos pedidos indica expectativas de demanda robusta.

A faceta da demanda do sistema econômico está pedindo muito robusto. Procure aumento de gastos para mostrar pedidos de unidades de fabricação ruins ou contraídos para os principais sinais de que a recuperação está se movendo para uma recessão. 

diferentes medidores de pesquisa avançada estão dentro do verde

Mesmo as medidas menos comuns de chance de recessão futura não parecem estar piscando sinais de alerta ainda.

A curva de rendimentos tem sido elogiada com a ajuda de compradores como um indicador confiável de desacelerações econômicas. O dispositivo rastreia os rendimentos de vários vencimentos do Tesouro, mostrando efetivamente como os investidores esperam que as condições econômicas pareçam mais cedo ou mais tarde. Uma curva de rendimentos invertida – em que as taxas de curto prazo excedem os rendimentos de longo prazo – precedeu as recessões mais importantes, pois reflete investidores entrando em ativos mais seguros em meio a temores de uma desaceleração.

A curva de rendimentos em curto invertido em março, no entanto, girou mais baixo de volta para um estado mais típico. A ferramenta mais eficaz acompanha as expectativas do mercado e não tem relação direta com o desempenho do clima econômico. A reversão voltou a uma curva padrão, certamente tão rapidamente após a inversão, indicadores que os investidores não têm tanta certeza de que uma recessão está se aproximando.

A própria coleção de indicadores principais do conselho da conferência também está em boa forma. O principal índice econômico da organização caiu apenas 0,3%, para 119,2 em abril, mas ainda está 0,9% maior do que havia seis meses atrás. O estilo plano do LEI até 2022 está “de acordo com uma perspectiva de crescimento razoável” e a produção econômica provavelmente se recuperará no segundo trimestre, observou Ataman Ozyildirim, diretor sênior de pesquisa financeira do Conselho da convenção.

incertezas significativas permanecem, certamente enquanto a Rússia continua a travar guerra na Ucrânia, a escassez de mão de obra continua e os bloqueios na China ameaçam atrapalhar as cadeias de entrega. No entanto, a maioria dos indicadores sugere que a recuperação permanece intacta. Uma recessão pode estar no horizonte, mas provavelmente nunca chegará tão cedo.

Noticias Gerais
Noticias Gerais
A redação do Notícias Gerais é formado por profissionais dedicados que são meticulosos em verificar todas as informações e conteúdos que compartilham. Eles estão comprometidos em manter você sempre bem informado e podem contar com notícias confiáveis e precisas em todas as postagens.