Atualizações sobre a politica iraniana

Anúncios

Hardliners ganham controle sobre a política iraniana

Ebrahim Raisi, um islâmico linha-dura escolhido e protegido do aiatolá Ali Khamenei, o líder supremo do Irã, recebeu sem dificuldade as eleições presidenciais. Mas seu deslizamento de terra ostensivo parece ser uma vitória de Pirro, reunindo nada como a ajuda familiar obrigatória para ebook Irã via considerada uma de suas piores crises considerando a revolução de 1979 que criou a República Islâmica.

Se isso se tornou um teste de fé dos iranianos em seu dispositivo híbrido e com cabeça de hidra, onde teocratas e interesses investidos liderados por meio do chefe supremo enforcam a rendição do chicote em instituições popularmente eleitas comparáveis ​​ao parlamento e à presidência, ele falhou.

A participação de 48,8 por cento foi a mais baixa no histórico de eleições presidenciais contestadas da República Islâmica. O presidente cessante, Hassan Rouhani, foi reeleito com 24 milhões de votos em 2017; Raisi comprou 18 milhões. Agora, não apenas mais da metade dos iranianos rejeitou a cédula, mas 3,7 milhões estragaram suas cédulas – mais do que votaram nos frágeis oponentes de Raisi, depois que teocratas baniram candidatos plausíveis.

Em outras palavras, a maioria descontente do Irã se opõe a Raisi. As aspirações de uma civilização histórica, mas com população jovem, de reingressar no reino, que se cristalizaram nas duas vitórias de Rouhani, não podem mais encontrar expressão nas eleições onde os resultados são pré-ordenados usando Khamenei e os clérigos.

eis uma questão sobre a qual Raisi terá pouco tempo para refletir. O clima econômico do Irã está prostrado depois que o ex-presidente dos EUA, Donald Trump, retirou-se do corte de preços de 2015 que o Irã atingiu com os EUA e cinco potências mundiais diferentes para eliminar a maior parte do programa nuclear de Teerã. Ele impôs provavelmente as sanções mais severas já impostas a um estado soberano. Enquanto a campanha de “poder ideal” de Trump não deixou o Irã de joelhos, ela trabalhou ordenadamente politicamente para os linha-dura que a usaram como prova de que os Estados Unidos se transformaram em algo inegável.

No entanto, líderes como Khamenei e Raisi não podem ser complacentes. O Irã passou por uma insurreição normal em casa e está lutando no exterior para controlar o que se tornou um eixo de vigor, mas agora é uma sequência de estados em colapso no Iraque, Síria, Líbano e Iêmen. Isso é verdade após o assassinato de Qassem Soleimani, comandante da inovadora legião ultramarina, em Bagdá no ano final.

Há complicações com alguém como Raisi na presidência, um clérigo que chefiou o judiciário nos últimos dois anos. Especula-se que ele esteja ligado às execuções de centenas de presos políticos em 1988, uma disciplina que ele evitou enquanto se reinventava como um ativista populista contra a corrupção. Em contraste com Rouhani, arquiteto do acordo nuclear de 2015, ele está abaixo das sanções dos EUA.

O presidente Joe Biden está fazendo uma tentativa de ressuscitar o acordo e reverter o enriquecimento de urânio do Irã. O Irã deseja garantir contra as sanções dos EUA que dissuadiram os investidores estrangeiros com o possível despejo do dispositivo de dólar, apesar do acordo nuclear. Além disso, deseja que o IRGC, um órgão estatal que visa uma comunidade terrorista com a ajuda de Trump, seja retirado da lista. No entanto, os líderes do IRGC comandam as operações paramilitares no centro-leste e controlam o clima econômico do Irã.

Um regime conservador em Teerã, com teocratas e autoridades eleitas na mesma página, provavelmente torna as negociações nucleares menos difíceis – principalmente se um acordo reformulado for assinado sob Rouhani e as vantagens acumuladas sob Raisi. Mas o Irã precisa de dinheiro e os EUA e seus aliados agora não aplicarão todas as sanções, exceto os ajustes de Teerã em seu comportamento nos países árabes vizinhos.

A lista de verificação sugere, adicionalmente, que a sociedade iraniana, jovem, urbana e afins, vai se opor cada vez mais aos aiatolás, a menos que alguém abra um novo panorama de esperança. Essa eleição profundamente inadequada não resolve mais o panorama político.

Jéssica
Jéssica
Olá, sou escritora com uma vasta experiência em redes de sites, onde meu foco é criar conteúdos que não apenas informam, mas também facilitam a vida dos leitores. Minha motivação para escrever vem do desejo de ajudar os usuários a encontrar respostas e soluções práticas. Acredito que a escrita é uma poderosa ferramenta de conexão e espero que você encontre nos meus artigos um recurso valioso para suas pesquisas e leituras diárias.